Idioma:

  • Fossas sépticas são implantadas em propriedades rurais

    DATA: 06/11/2019

    Publicado por: Fundação Norberto Odebrecht

    Alunos das Casas Familiares, instituições parceiras da Fundação Odebrecht, estão tendo acesso a serviços de saneamento básico em suas residências

     

    Cerca de 31 milhões de pessoas vivem hoje na zona rural do país. Dessas, apenas 22% têm acesso a serviços adequados de saneamento básico, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em 2013. No Baixo Sul da Bahia, onde aproximadamente 50% dos habitantes estão no campo, há uma iniciativa que visa minimizar esse problema: as instituições parceiras da Fundação Odebrecht na execução do PDCIS, seu Programa Social, estão implantando fossas sépticas nas propriedades dos seus beneficiários.

    Mileno Andrade e sua família ao lado das equipes da OCT e CFR-PTN

    É o caso de Mileno Andrade, 18, que mora na comunidade de Bonfim, em Valença (BA). Mileno é aluno do 2º ano da Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN). Ele faz parte do 1º grupo de jovens beneficiados e que terá uma fossa instalada em sua propriedade, onde reside com a mãe, o padrasto e um irmão. “É fácil de construir e usar. O resíduo não vai direto para o solo: tem uma caixa de brita para onde eles vão e são filtrados. Quando chegam ao solo, não têm mais poluentes. Temos que trabalhar para cuidar das outras pessoas e do meio ambiente”, explica o estudante.

    Integração entre instituições

    A tecnologia social das fossas sépticas foi desenvolvida pela Prefeitura Municipal de Caratinga (MG) e certificada em 2011 pela Fundação Banco do Brasil (FBB). A partir de bombonas plásticas, o sistema trata o esgoto doméstico e evita a contaminação do solo e da água. A Organização de Conservação da Terra (OCT) também já vem implantando as fossas nas propriedades de seus beneficiários e realizou capacitações com as três escolas que fazem parte do PDCIS [CFR-PTN, Casa Familiar Rural de Igrapiúna (CFR-I) e Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf)] para que os alunos em formação e suas famílias tenham acesso a saneamento básico.

    Para Eduardo Mamédio, Líder da Conservação Produtiva na OCT que participou dos treinamentos, “é muito bom ver essa tecnologia sendo disseminada em propriedades rurais do Baixo Sul. A fossa funciona bem no tratamento do efluente sanitário doméstico, diminuindo a contaminação do ambiente e a disseminação de doenças.  Temos bons resultados onde já implantamos, sobretudo quando ela é associada ao quintal produtivo, com o aproveitamento do efluente já tratado na irrigação de culturas perenes”, afirma.

    Sistema trata o esgoto doméstico e evita a contaminação do solo e da água

    Cada Casa Familiar tem uma empresa parceira que viabiliza os recursos para implantação e a quantidade de jovens contemplados nesse primeiro momento. A CFR-PTN está ao lado da Fundação Banco do Brasil e vai implantar 30 projetos. A CFR-I e a Cfaf contam com o apoio da Braskem e beneficiarão, respectivamente, 12 e 10 famílias. Rita Cardoso, diretora da Cfaf, explica como funcionou a seleção dos estudantes. “Fizemos uma pesquisa inicial e identificamos aqueles que mais necessitavam no primeiro momento, visando questões de saneamento e higiene”, diz.

    De acordo com Rita, existe a intenção de ampliar o número de atendidos em 2020. Além disso, a escola segue buscando por formas de debater o tema e ampliar sua visibilidade nas comunidades. “Publicamos um trabalho acerca das fossas sépticas e com isso dá maior visibilidade sobre saúde ambiental e bem-estar para todos. Apresentamos na Semana de Ciência e Tecnologia do Instituto Federal Baiano, em Valença, em outubro”, conta Rita.

    Aline Novais, mestre em agronomia e professora de biologia da CFR-I, reforça que a adoção dessa técnica intenta melhorar as condições de vida do produtor rural e sua relação com o meio ambiente. “Todas as etapas desse projeto têm aumentado significativamente a autoestima do agricultor, que se diz mais feliz por poder receber uma visita em casa. É o que vem sendo notado a partir do momento em que a propriedade ganha uma fossa séptica”, afirma.

    Nenhum Comentário

    Quer saber mais sobre
    algum assunto?

    Clique aqui e deixe sua sugestão
    para o próximo post!

    Notícias Relacionadas

    +
    0

    Na última semana, a OR participou como patrocinadora do III ESG Fórum de Salvador, realizado pelo jornal Correio. O...

    04 de Junho de 2024
    +
    0

    Pelo segundo ano consecutivo, a Fundação Norberto Odebrecht é reconhecida como Great Place to Work, conquista que legitima a...

    22 de Maio de 2024
    +
    0

    Com a aspiração de perpetuar práticas, princípios e processos integrados à sua atuação, a Fundação Norberto Odebrecht lançou nesta...

    14 de Maio de 2024
    +
    0

    Mais uma vez a Fundação Norberto Odebrecht dá um passo à frente em sua jornada para a construção de...

    03 de Maio de 2024